Sobre Nós

De onde surge a Economia de Francisco Portugal

Numa carta dirigida especialmente aos jovens, em Maio de 2019, o Papa Francisco desafiou todos a participarem num evento com o propósito de repensar uma “economia diferente, que faz viver e não mata, inclui e não exclui, humaniza e não desumaniza, cuida da criação e não a devasta.”
A figura escolhida para inspirar a reflexão foi São Francisco de Assis, o santo que se despojou de todas as formas de egocentrismo para colocar a sua vida ao serviço dos mais pobres, o santo da atenção aos frágeis e da ecologia integral.

Assim nasce a Economia de Francisco – um movimento mundial, encabeçado pelas gerações mais jovens, mas que quer chegar a todos, com o objetivo de promover uma economia mais orgânica, que integre e amplie a preocupação ativa pelo meio ambiente, mas também pelas relações e vínculos que nos unem a todos.

Em Portugal, assumimos desde o primeiro dia esta missão, e assim nasce a rede da Economia de Francisco Portugal! Somos uma rede de pessoas, profissionais, investigadores, empreendedores, estudantes, que se movem por este novo paradigma, procuram desafiar, fazer refletir e questionar o que precisa de ser transformado na economia estabelecida, em prol de uma economia mais centrada no amor e no cuidado pelo que nos rodeia.

«As vossas universidades, as vossas empresas, as vossas organizações são canteiros de esperança para construir outras modalidades de entender a economia e o progresso, para combater a cultura do descarte, para dar voz a quantos não a têm, para propor novos estilos de vida.»

Papa Francisco, Christhus Vivit

De onde partimos?

“aquela que traz a vida e não a  morte, que é inclusiva e não exclusiva, humana e não desumana, que cuida do  meio ambiente e não o despoja.”       

(Papa Francisco)

Tópicos que nos movem

Pessoa Humana

Acreditamos numa nova economia com centro na pessoa, uma economia mais humana e inclusiva que dê voz aos mais frágeis.

Ecologia Integral

Onde nos inspiramos para a perspetivar os desafios do tempo presente e cuidar da nossa Casa Comum, a Terra.

Bem Comum

Queremos trabalhar em rede para desenhar soluções ou produzir conhecimento que contribuam para uma sociedade mais justa e fraterna.

TESTEMUNHOS


  • Pedro rebelo de Andrade

    “É a experiência que resulta do atrevimento daqueles que ousam responder ao apelo do Papa em idealizar e avançar para um novo paradigma, no qual a economia e a vida em sociedade são o reflexo do Homem fraterno, que se eleva saindo de si mesmo, para ir ao encontro do próximo, colocando Deus no centro da sua vida.”
  • Carlota Lobo

    "Apesar da pandemia nos ter trocado as voltas, continuamos a fazer o caminho em oração e a ser a comunidade que a Igreja nos pede."
  • Luísa Gonçalves

    “E na circunstância atual, Deus oferece-nos a possibilidade de contribuir mais ativamente para esta economia a que tanto aspiramos, colocando em prática tudo aquilo que temos vindo a refletir. Sermos exemplo de esperança, entrega ao próximo e construindo vínculos de Amor muito concretos.”
  • Diogo Bonvalot Pereira

    “A Economia de Francisco é um desafio ao paradigma económico instalado. Convida-nos a repensar as nossas concepções de valor e progresso, e a substituir o lucro pelo Amor, como critério central nos nossos processos de decisão. Na maioria dos casos não é fácil encontrar alternativas aos modelos transacionais estabelecidos, não só na nossa sociedade, como em mim próprio. Contudo tem sido uma enorme alegria sentir a bênção desta missão, especialmente evidente no entusiasmo e inspiração sentidos nos momentos de debate e partilha."
  • Fernando Costa Duarte

    “Quando olhamos para o ambiente empresarial com as lentes da Economia de Francisco vemos uma economia mais justa, preocupada com o outro e com o ambiente.”
  • João Paulo Guedes

    "Fisicamente afastados mas possivelmente mais ligados do que nunca, continuamos juntos neste caminho de querermos mudar o mundo à nossa volta"

Fica a par das novidades